Para as crianças, tudo: Conheça o Projeto A Arte Salva

A atriz Karina Duarte um dia foi provocada por uma criança que queria ser artista. Assim nasce o A Arte Salva, que 6 anos depois atende de forma contínua uma rede de 60 artistas mirins nas periferias brasileiras.



Ainda tem gente no Brasil que ousa acreditar que todas as crianças brasileiras merecem acesso ao belo, ao lazer, à qualidade de vida. Que merecem ter sua criatividade aflorada e celebrada, conhecer a arte como ferramenta para suportar, superar e melhorar a sua vida. Que merecem uma educação sensível e empoderadora, para além dos requisitos do mundo do trabalho. O Projeto Arte Salva é uma ferramenta para providenciar o acesso de todas crianças brasileiras a tudo o que elas merecem, inclusive a voz, o respeito e a visibilidade; começando com aquelas a quem tudo isto mais é negado: as crianças das periferias brasileiras.


A fundadora, Karina Duarte foi sempre e próxima aos movimentos culturais e projetos sociais das favelas brasileiras. Mas foi durante uma conversa com Brayan, na época com 06 anos de idade, que sentiu o chamado para organizar aulões e programações de cunho artístico, cultural e educativo voltado para o público infantil do bairro Jardim Gramacho. Brayan teve sua casa reformada pela organização não-governamental TETO Brasil e, na ocasião, Brayan participou ativamente da pintura da casa. Brayan contou a Karina, sua madrinha, que havia pedido ao Papai Noel que lhe trouxesse uma tela para que ele pintasse, e continuasse a ser artista.


Após alguns meses de mobilização, Karina volta à comunidade com telas, tintas e material didático doadas pelo pelo projeto "Favelarte" e pelo Rapper MV Bill. Até hoje já foram realizados 19 aulões de artes atendendo 60 crianças cadastradas com participação contínua. Foram um total de 11 eventos culturais desenvolvidos para os pequenos: incluindo duas idas ao cinema, ida à competição da paraolimpíada, visita à exposição na cidade das artes e uma vivência conjunta com crianças da etnia indígena Anembé, Pataxó e Puri no Parque Lage.





O Direito à Arte: Um projeto a longo prazo


A iniciativa A Arte Salva é um projeto ambicioso, de cunho social e cujos beneficiários estão entre os cidadãos mais vulneráveis economicamente do brasil. No entanto, a visão de Karina para o projeto foge do assistencialismo e pretende se expandir para outras cidades e contextos brasileiros. Para isto, optou por uma estratégia robusta e alinhada com o que há de mais avançado em termos de inovações sociais no mundo: o Projeto Arte Salva tem hoje dois eixos: um, a empresa social, modelo de empreendedorismo cunhado pelo Economista Laureado com o Prêmio Nobel da Paz, Muhammad Yunus; esta hoje com 2 anos de existência. Em 2020, o projeto efetiva também o registro Instituto Arte Salva, organização não-governamental sem fins lucrativos.


Enquanto empresa social, Karina busca alternativas sustentáveis e de mercado para financiar os aulões e demais ações do projeto. Credenciamento de marcas parceiras, exposições temporárias, vendas de produtos e experiências estão entre as fontes de receita da instituição. Já a organização não-governamental buscará servir de ponte para que o Arte Salva possa buscar convênios com outras organizações de educação, editais públicos e interações com redes de filantropia.


Além dos aulões, o projeto trabalha também com um sonho ambicioso de curto prazo: a compra e construção da Primeira Escola de Artes do Jardim Gramacho. O primeiro desafio é adquirir uma casa no local (foto abaixo), que será reformada a partir de técnicas em arquitetura ecológica. O primeiro desafio é mobilizar em torno de R$ 50.000,00 para adquirir e preparar o terreno para receber de forma permanente as aulas, contribuindo para a melhoria da região, conhecida como Favela 4 Rodas e seus residentes. O website Razões para Acreditar, que trabalha mostrando iniciativas inspiradoras em filantropia e sustentabilidade ao redor do mundo, está hospedando em sua plataforma uma campanha de financiamento coletivo em prol do projeto.



Foto da futura Escola de Artes do Jardim Gramacho, e a vizinhança onde está localizada.



Sobre a Fundadora


Karina Duarte é uma mulher indígena da etnia Puri, artista formada pelo Teatro Escola Macunaíma e pelo Grupo de Teatro Nós do Morro, localizado na Favela do Vidigal (Rio de Janeiro). É professora de alfabetização teatral e linguagem do cinema criou seu projeto Arte Salva em 2015 no Jardim Gramacho. É palestrante, digital influencer e militante pelos direitos humanos no contexto das periferias urbanas e rurais. Em sua trajetória no A Arte Salva, Karina mobilizou parceiros importantes, como os atores Mariana Ximenes, Antônio Pitanga, Vladmir Brichita, Hélio de La Peña e Osmar Prado, a atriz indígena Eunice Baía e a CEO do Grupo Horta, Riza Braga. O método empregado no projeto foi também desenvolvido por Karina, na escola do artista Vik Muniz.



E a Nossa Terra Firme nesta história?


A Nossa Terra Firme ´presta assessoria técnica em captação de recursos e consolidação institucional para a Iniciativa A Arte Salva. Entre nossas atribuições estão o cadastramento em Leis de Incentivo, a gestão de parcerias e a construção de capacidades administrativas dentre o núcleo duro das instituições, visando sempre contribuir para a autonomia, visibilidade e escalabilidade desta iniciativa inovadora.




Acompanhe a A Arte Salva


Website: aartesalva.com

Facebook: facebook.com/A-Arte-Salva-400751953463244/

Instagram A Arte Salva: instagram.com/aartesalva

Instagram Karina Duarte: instagram.com/karinadasartes

Vaquinha A Arte Salva: https://voaa.me/arte-salva-jardim-gramacho

64 visualizações